Terra prometida

Os estrangeiros nos cinemas da Argentina e do Brasil (1932-1942)

  • Arthur Autran Franco de Sá Neto UFSCar (Universidade Federal de São Carlos)

Resumo

O artigo tem por objetivo comparar a contribuição dos diretores e técnicos de origem estrangeira nas cinematografias da Argentina e do Brasil no período entre 1932 e 1942. Na Argentina é possível anotar a presença de profissionais como os diretores de fotografia John Alton (húngaro) e Francis Boeniger (suíço); o montador Laszlo  Kish (húngaro) ou o cenógrafo Gori Muñoz (espanhol). Já no Brasil, a presença dos estrangeiros foi menos marcante, embora haja os casos dos diretores de fotografia George Fanto (húngaro) e Aquilino Mendes (português) ou do diretor Chianca de Garcia (português). O artigo relaciona os principais profissionais estrangeiros atuantes nas duas cinematografias, as contribuições para o desenvolvimento de ambas e as motivações pelas quais os estrangeiros encontraram mais espaço na Argentina.

Publicado
Jun 28, 2019
Como Citar
FRANCO DE SÁ NETO, Arthur Autran. Terra prometida. Revista Alceu, [S.l.], v. 20, n. 38, p. 33-48, june 2019. ISSN 2175-7402. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaalceu/article/view/892>. Acesso em: 21 nov. 2019.
Seção
Artigos