Performance, Programa e Cidade: Urbanismos do Chão

  • Bárbara Silva da Veiga Cabral Urbanista-performer. Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena da UFRJ, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela PUC-Rio com graduação sanduíche na Universidad Politécnica de Madrid, Espanha. http://orcid.org/0000-0002-7172-8969

Resumo

Articulando práticas artísticas e urbanísticas ao trabalho de autoras dos campos da dança, filosofia, performance e urbanismo, o artigo tem como ponto de partida revisar a colocação de Hannah Arendt (2007) e André Lepecki (2012) de que a arquitetura (o fazer cidade) é fundamentalmente anterior à política (agir cidade). A revisão parte de uma experiência que vivi em TECIDO-NÃO-TECIDO (2018), performance realizada na Barra da Tijuca. O contraponto que a performance traz é matéria para expandir as noções de política e arquitetura — reforçando que agir cidade é, de fato, fazê-la. Ao pensar arquitetura e urbanismo enquanto “políticas do chão” (CARTER, 1996), o texto termina com um breve ensaio sobre a palavra programa, comum aos campos da arquitetura e da performance, e propõe uma espécie de urbanismo imanente e do chão, cujo operador é o “programa performativo” (FABIÃO, 2013), enunciado conciso de performances, de modo a subverter a frequente determinação de usos em arquitetura e urbanismo via programas funcionais. Palavras-chave: Performance; Cidade; Arquitetura e Urbanismo; Programa performativo; Chão.


 


Abstract
By articulating artistic and urbanistic practices with the work of authors from the fields of dance, philosophy, performance, and urbanism, the article’s starting point is to review Hannah Arendt’s (2007) and André Lepecki’s (2012) statement that architecture (to make the city) is fundamentally prior to politics (to act the city). This review is based on an experience I have lived in TECIDO-NÃO-TECIDO (2018), a performance art piece held in Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. The counterpoint that this performance brings is used as a material to expand the notions of politics and architecture — reinforcing that acting the city is, in fact, making it. Thinking about architecture and urbanism as “ground politics” (CARTER, 1996), the text ends with a brief essay on the word program, common to the fields of architecture and performance art, and proposes a kind of immanent and ground urbanism, whose operator is the “performative program” (FABIÃO, 2013) — subverting the frequent determination of uses in architecture and urbanism via functional programs. Keywords: Performance; City; Architecture and Urbanism; Performative program; Ground.

Publicado
Dec 28, 2021
Como Citar
CABRAL, Bárbara Silva da Veiga. Performance, Programa e Cidade: Urbanismos do Chão. Revista Prumo, [S.l.], v. 6, n. 09, p. 12, dec. 2021. ISSN 2446-7340. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaprumo/article/view/1684>. Acesso em: 17 may 2022. doi: http://dx.doi.org/10.24168/revistaprumo.v6i09.1684.
Seção
Artigos