Policronia arquitetônica

  • Beatriz Carneiro Arquiteta e urbanista pela PUC-Rio.

Resumo

O artigo parte da discussão sobre modernidade e os diferentes modos de experiência do tempo a partir do marco da derrubada do Muro de Berlim, em 1989. Considerando esse contexto, que se intensifica com a virada do século XX para o XXI, elabora-se o conceito de policronia com base na percepção e definição do tempo exploradas por Hans U. Gumbrecht e Peter Pál Pelbart. A fim de investigar suas possíveis reverberações na arquitetura, analisa-se o projeto de reconversão do Mercado Municipal do Carandá (1980–1984) em Escola de Dança e Música (1999–2001; 2008–2011) em Braga, Portugal, pelo arquiteto Eduardo Souto de Moura.
Palavras-chave: tempo; temporalidade; projeto; memória.


Abstract
This article draws on the discussion on modernity and different modes of experiencing time, specially since the fall of the Berlin Wall, in 1989. Considering this context, which is intensified in the turn to the 21st century, it intends to elaborate the concept of polychrony based on the perception and definition of time explored by Hans U. Gumbrecht and Peter Pál Pelbart. In order to investigate the possible reverberations of this concept in architecture, the text analises the reconversion project of theMercado Municipal do Carandá (1980–1984) into Escola de Dança e Música(1999–2001;2008–2011) in Braga, Portugal, by the architect Eduardo Souto de Moura.
Keywords: time; temporality; project; memory.

Publicado
Dec 29, 2021
Como Citar
CARNEIRO, Beatriz. Policronia arquitetônica. Revista Prumo, [S.l.], v. 6, n. 09, p. 11, dec. 2021. ISSN 2446-7340. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaprumo/article/view/1699>. Acesso em: 17 may 2022. doi: http://dx.doi.org/10.24168/revistaprumo.v6i09.1699.
Seção
Ensaio