Táticas de reconquista do espaço

o #becomaravilha como construção coletiva de um lugar

  • Adriana Sansão, Dra. LabIT-PROURB-FAU/UFRJ (Laboratório de Intervenções Temporárias e Urbanismo Tático), Universidade Federal do Rio de Janeiro Contato:
  • Aline Couri, Dra. Escola de Belas Artes da UFRJ
  • Barbara Lapos Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - UFRJ
  • Joy Till Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - UFRJ
  • Priscila Luzardo Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma ação tática de reconquista de um espaço esquecido da cidade do Rio de Janeiro através de uma intervenção realizada por estudantes de Arquitetura, Artes e Design no âmbito da I Oficina de Intervenção Temporária. Questionando sobre o papel do cidadão nas transformações da cidade, a Oficina apresentou as intervenções temporárias e o urbanismo tático como ações bottom-up capazes de transformar gradualmente os espaços públicos. O sítio de atuação foi a Travessa do Liceu, espaço público relegado no recente processo de transformação da frente marítima carioca, localizado na linha divisória entre o Morro da Conceição e a Praça Mauá. A partir das discussões e da imersão na área-objeto de estudo, a intervenção #becomaravilha, construída coletivamente pelos estudantes, ativou esse espaço vazio de uso e de significado, permitindo-o conectar o tecido histórico do morro aos grandes equipamentos da Praça Mauá revitalizada.


Palavras-chave: Urbanismo tático; construção coletiva; Porto Maravilha; Rio de Janeiro.

Publicado
Jul 10, 2017
Como Citar
SANSÃO, Adriana et al. Táticas de reconquista do espaço. Revista Prumo, [S.l.], v. 2, n. 3, july 2017. ISSN 2446-7340. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaprumo/article/view/369>. Acesso em: 23 nov. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.24168/revistaprumo.v2i3.369.