Rio de Janeiro Metrópole

Arquitetura e infraestrutura como suportes ao projeto do território

  • Pedro Barreto de Moraes Departamento de Arquitetura e Urbanismo - DAU | PUC-Rio

Resumo

Este artigo parte do entendimento do Rio de Janeiro enquanto metrópole plural, porém marcada por grandes desigualdades impostas por dinâmicas urbanas implementadas a partir do fim do século XIX a partes distintas de seu território e vinculadas a variadas representações. Dinâmicas estas relacionadas a paradigmas desenvolvimentistas, expansão e otimização dos tempos de deslocamento, possibilitados por grandes obras infraestruturais. A prática do projeto, em arquitetura e urbanismo, surge, nesse contexto, como atuação capaz de subverter parâmetros e instrumentos promotores de expansão desenfreada, perda de identidade e indefinição formal. Tomam-se as infraestruturas, especialmente de mobilidade, enquanto oportunidade de abordagem ao problema, aptas a amparar e promover preexistências cujas potencialidades podem operar como alternativas ao já saturado e restrito Centro Metropolitano, através da discussão de estratégias projetuais que propiciem lidar com questões físico-espaciais complexas e distintas dos paradigmas tradicionais de arquitetura e urbanismo.
Palavras-chave: Urbanismo, infraestrutura, estratégias projetuais, metrópole, Rio de Janeiro.


 

Publicado
Oct 30, 2018
Como Citar
DE MORAES, Pedro Barreto. Rio de Janeiro Metrópole. Revista Prumo, [S.l.], v. 3, n. 4, p. 23, oct. 2018. ISSN 2446-7340. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaprumo/article/view/594>. Acesso em: 09 dec. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.24168/revistaprumo.v3i4.594.
Seção
Artigos