Dorothy Day, “mística de olhos abertos”:

precursora da espiritualidade laical proposta no espírito do Concílio Vaticano II

  • Henrique Matheus Biondo Costa PUC-Campinas
  • Ceci Maria Costa Baptista Mariani PUC-Campinas

Resumo

A mística traz solidez à espiritualidade, uma vez que a religião ficou refém da lógica de consumo. Johann Baptist Metz denomina Dorothy Day como a “mística de olhos abertos”, a face política da mística contemporânea. A “mística de olhos abertos” é uma mística inspirada na justiça de Deus que desce e se coloca ao lado do sofredor para salvar o mundo pelo poder da compaixão, solidariedade e comunhão. Ao lado da mística contemporânea está a espiritualidade laical. Sua sistematização acontece com o Concílio Vaticano II (1962-1965) e chega até o Magistério atual com o documento sobre a santidade Gaudete et Exsultate, de 2018, do Papa Francisco. Através de metodologia bibliográfica exploratória, este artigo tem o objetivo de empreender uma reflexão sobre as características e tendências da mística contemporânea no testemunho de Dorothy Day (1897-1980). Além disso, busca-se demonstrar como Day preconiza a espiritualidade laical e a santidade em todas as dimensões da sua vida.

Publicado
Dec 28, 2019
Como Citar
COSTA, Henrique Matheus Biondo; MARIANI, Ceci Maria Costa Baptista. Dorothy Day, “mística de olhos abertos”:. Pesquisas em Teologia, [S.l.], v. 2, n. 4, p. 75-95, dec. 2019. ISSN 2595-9409. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/pesquisasemteologia/article/view/1058>. Acesso em: 05 apr. 2020.
Seção
Artigos em temas diversos