História da teologia do martírio na América Latina

Primeiro ensaio de uma tese sobre esperança-cruz

  • Luís Corrêa Lima PUC-Rio
  • João Pedro Augusto Alves de Holanda PUC-Rio

Resumo

O martírio, nos primeiros séculos da Igreja, sempre pareceu uma consequência quase que certa da adesão ao seguimento de Cristo. Esse artigo propõe um primeiro olhar sobre a dimensão histórico-teológica do martírio no Antigo e Novo Testamento, como também, nos primeiros séculos. O objetivo é iniciar uma pesquisa sobre as possibilidades e consequências do alargamento do conceito clássico de martírio. Não se pretende obter com este artigo uma análise conclusiva do tema, mas, sim, traçar algumas possibilidades para a continuidade da pesquisa. A premissa desta tese estaria em encontrar na dupla dimensão do único mandamento – amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo – um conceito de martírio que abarque a situação vivida e sofrida na América Latina. A teologia do Martírio perpassa a teologia da Cruz que brota de uma teologia da Esperança. Logo, se pode dizer, numa primeira análise, que a teologia do Martírio é o resultado de uma práxis que tem por base a teologia da Esperança-Cruz.

Publicado
Jul 31, 2020
Como Citar
LIMA, Luís Corrêa; HOLANDA, João Pedro Augusto Alves de. História da teologia do martírio na América Latina. Pesquisas em Teologia, [S.l.], v. 3, n. 5, p. 7-26, july 2020. ISSN 2595-9409. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/pesquisasemteologia/article/view/1231>. Acesso em: 28 nov. 2020. doi: http://dx.doi.org/10.46859/PUCRio.Acad.PqTeo.2595-9409.2020v3n5p07.
Seção
Artigos do dossiê