Interpelações do pensamento decolonial à missão cristã

  • Stefano Raschietti PUCPR

Resumo

Nesse ensaio apresentaremos as linhas constitutivas do pensamento decolonial, que apresenta a colonialidade como o “lado escuro” da modernidade, intrinsecamente associada aos propósitos emancipadores do Ocidente cristão. Esse pensamento se configura como uma obra coletiva em construção, que afunda suas raízes na tradição crítica anticolonial latino-americana, agrupando produções heterogêneas de diversos autores num âmbito interdisciplinar. Elemento de gravitação e de agregação de todo o programa é o conceito de “colonialidade do poder” que se desdobra em “colonialidade do saber” e “colonialidade do ser”, formando assim uma “estrutura triangular”, a expressar principalmente a dimensão política, epistemológica e ontológica do objeto em questão. Os aportes desse projeto oferecem para uma teologia da missão intuições e elementos analíticos críticos que delineiam quatro âmbitos de indagação: a irrupção do “outro” como sujeito interlocutor; a necessidade de um processo epistêmico de desprendimento e abertura; a exigência primeira da missão habitar a fronteira; o compromisso junto aos projetos decoloniais globais. Enveredar pelo caminho decolonial implica para a prática e a teologia da missão uma radical mudança de orientação e motivação.

Publicado
Jul 31, 2020
Como Citar
RASCHIETTI, Stefano. Interpelações do pensamento decolonial à missão cristã. Pesquisas em Teologia, [S.l.], v. 3, n. 5, p. 47-65, july 2020. ISSN 2595-9409. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/pesquisasemteologia/article/view/1280>. Acesso em: 27 sep. 2020. doi: http://dx.doi.org/10.46859/PUCRio.Acad.PqTeo.2595-9409.2020v3n5p47.
Seção
Artigos do dossiê