Sujeitos do Diálogo

Abordagem e implicações a partir da Teologia Católica

  • Éverton Aparecido da Silva Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Resumo

O diálogo consiste numa atitude espontânea em busca do encontro dos diferentes capaz de gerar frutos de uma experiência gratuita onde a beleza e o encanto do outro aproxima e cativa. Ao cristão, cabe ficar atento às necessidades e possibilidades do diálogo, é pré-condição para abertura ao pluralismo eclesial e religioso. As possibilidades de crescimento por meio do diálogo são inúmeras e legítimas. Sob a ótica de uma Teologia que preze pelo diálogo como mediador de aprendizagens significativas e da ressignificação das interações na troca diária de conhecimentos construídos mutuamente, acena-se como objetivo a relação dialogal como paradigma do agir cristão, promovendo a participação ativa dos agentes pastorais, ministros ordenados ou não, da Igreja Católica. A identidade do sujeito eclesial possui uma configuração relacional, que se dá com sua comunidade, na sociedade e com as diferentes tradições eclesiais e religiosas. Jesus é modelo de escuta, diálogo e anúncio, é o referencial na busca de estabelecer o diálogo no encontro com o outro. Com o Vaticano II se redescobre a beleza de ser a Igreja que Jesus formou para evangelizar o mundo. O diálogo como paradigma do agir cristão possui como fim a unidade do Povo de Deus.

Publicado
Dec 30, 2021
Como Citar
DA SILVA, Éverton Aparecido. Sujeitos do Diálogo. Pesquisas em Teologia, [S.l.], v. 4, n. 8, p. 356-378, dec. 2021. ISSN 2595-9409. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/pesquisasemteologia/article/view/1362>. Acesso em: 17 may 2022. doi: http://dx.doi.org/10.46859/PUCRio.Acad.PqTeo.2595-9409.2021v4n8p356.
Seção
Artigos em temas diversos