Homilia e realidade

elementos constitutivos da pregação homilética

  • Marcel Gustavo Alvarenga Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Resumo

Este artigo tem como objeto formal a pregação cristã e objeto material a homilia litúrgica. A questão é a avaliação negativa das homilias litúrgicas, embora a homilia signifique um avanço da reforma litúrgica do Concílio Ecumênico Vaticano II, pois ela havia praticamente desaparecido do contexto litúrgico e se transformado em pregação de púlpito fora da missa.  Porém, infelizmente, as homilias redundaram em uma prática insatisfatória ou, por vezes, negativa. Isto tem se constituído um problema grave para a Igreja e para o rito litúrgico. Retomaremos as orientações dos Papas Bento XVI e Francisco para atualizar nossas reflexões e apontar pistas para a solução do problema. Para isso, levaremos em consideração três elementos constitutivos apresentados na Instrução Geral do Missal Romano, a saber: Palavra, mistério e vida dos ouvintes. Nosso parecer é que, ao ponderar esses elementos, é possível fazer com que a homilia cumpra sua função mistagógica e atualize o anúncio da fé na vida de quem a escute.

Publicado
Aug 31, 2021
Como Citar
ALVARENGA, Marcel Gustavo. Homilia e realidade. Pesquisas em Teologia, [S.l.], v. 4, n. 7, p. 158-171, aug. 2021. ISSN 2595-9409. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/pesquisasemteologia/article/view/1409>. Acesso em: 18 jan. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.46859/PUCRio.Acad.PqTeo.2595-9409.2021v4n7p158.
Seção
Artigos em temas diversos