A ERGONOMIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO EM SALAS DE FISIOTERAPIA PARA CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL

UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

  • Marcella Vívian Lôbo PPGDesign, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil
  • Vilma Villarouco PPGDesign, PPErgo, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil

Resumo

Este artigo apresenta uma revisão sistemática de literatura relacionada ao entendimento do estado da arte em relação aos cuidados com os ambientes de tratamento de pessoas com deficiência. O foco do interesse para a definição das palavras-chave da busca contempla a interação de crianças com paralisia cerebral e os ambientes de fisioterapia no qual se inserem, a fim de encontrar diretrizes que já tenham sido elaboradas e questões pesquisadas envolvendo a temática. Como metodologia, a revisão sistemática baseou-se no método Cochrane, através da exploração exaustiva da combinação de palavras-chave através portal de Periódicos CAPES, gerando um número de artigos significativo, onde as vertentes de estudo nos últimos cinco anos, puderam ser percebidas como diretamente ligadas aos aspectos imediatos do tratamento, sem relação da percepção do espaço. Os resultados encontrados demonstram uma lacuna no estudo da interação entre as crianças com paralisia cerebral e os ambientes de salas de fisioterapia por elas utilizados para o tratamento diário, contribuindo assim com a pesquisa final fundamentando uma justificativa concreta para o estudo.

Publicado
Jun 30, 2020
Como Citar
LÔBO, Marcella Vívian; VILLAROUCO, Vilma. A ERGONOMIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO EM SALAS DE FISIOTERAPIA PARA CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL. Ergodesign &amp; HCI, [S.l.], v. 8, n. 1, p. 47-64, june 2020. ISSN 2317-8876. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaergodesign-hci/article/view/1456>. Acesso em: 30 nov. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.22570/ergodesignhci.v8i1.1456.