O USO DE SMARTPHONES, TABLETS E COMPUTADORES PARA ACESSAR CONTEÚDOS RELACIONADOS À TV

UMA ANÁLISE SOB A PERSPECTIVA DO DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO

  • Eduardo Rangel Brandão

Resumo




Smartphones, tablets ou computadores utilizados para acessar conteúdos de TV não estão adequados aos seus contextos de uso. Por meio de uma pesquisa descritiva, realizou-se uma análise documental em 57 sites e 17 aplicativos, aplicou-se um questionário online com 156 respondestes e realizou-se 25 entrevistas semiestruturadas. Identificaram-se os formatos de conteúdos oferecidos pelas empresas de TV por meio da internet (vídeos, segunda tela, estendidos e temáticos). Também verificou-se que o smartphone está o tempo todo junto ao corpo (é a primeira tela), mas não é propício para o acesso aos conteúdos da televisão (tela pequena, conexão 3G e conteúdos não otimizados). O tablet é pouco usado, pois tem as mesmas funções do smartphone e não é tão portátil (utilizado somente via WiFi). O computador só é usado quando há a necessidade de foco e aprofundamento, geralmente, em atividades relacionadas aos estudos e trabalho. As pessoas ainda preferem acessar os conteúdos diretamente na TV, mas estão assistindo menos da forma tradicional, pois a internet oferece horários flexíveis. Quando assistem televisão da maneira tradicional, não abrem mão da internet ao mesmo tempo (só que em atividades não relacionadas com a TV). A televisão impulsiona o comportamento de uso da internet, mas o contrário não acontece tanto (embora isso ocorra via redes sociais). As pessoas só associam os vídeos aos conteúdos da TV na internet, a segunda tela não emplacou e os conteúdos estendidos ou temáticos não são vistos como de TV. Como resultado final desta pesquisa, são apresentadas algumas sugestões, com a intenção de contribuir para o projeto de interfaces mais adaptadas ao uso humano.




Publicado
Jul 5, 2018
Como Citar
BRANDÃO, Eduardo Rangel. O USO DE SMARTPHONES, TABLETS E COMPUTADORES PARA ACESSAR CONTEÚDOS RELACIONADOS À TV. Revista ErgodesignHCI, [S.l.], v. 6, n. Especial, p. 85 - 98, july 2018. ISSN 2317-8876. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaergodesign-hci/article/view/614>. Acesso em: 14 nov. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.22570/ergodesignhci.v6iEspecial.614.