O tempo do paradoxo

a inovação pela reabilitação

  • João Mendes Ribeiro Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, Portugal
  • Ana Maria Feijão Atelier João Mendes Ribeiro

Resumo

Recusando uma ideia relativamente generalizada de que inovar implica fazer de novo, na arquitetura, na engenharia, no ensino, na construção civil, deve-se criar fundamentos e oportunidades para recuperar e reabilitar as cidades portuguesas. A pré-existência deve ser enfrentada como matéria de projeto, terreno de intervenção sobre o qual o arquiteto possa trabalhar – mantendo a coerência formal, compositiva e construtiva do edifício –, e garantindo a integridade das suas estruturas a manter. A reinterpretação deve ser feita de forma crítica e incisiva, aceitando sem receio as sobreposições estilísticas, históricas ou linguísticas que dela possam advir.
Palavras-chave: recuperação, restauro crítico, requalificação, lugar, história.

Publicado
Oct 31, 2018
Como Citar
RIBEIRO, João Mendes; FEIJÃO, Ana Maria. O tempo do paradoxo. Revista Prumo, [S.l.], v. 3, n. 4, p. 16, oct. 2018. ISSN 2446-7340. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaprumo/article/view/772>. Acesso em: 09 dec. 2018.
Seção
Projetos