A sinodalidade na América Latina

o testemunho das Comunidades Eclesiais de Base

  • Tiago Cosmo da Silva Dias Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

Resumo

O artigo objetiva propor a retomada das chamadas Comunidades Eclesiais de  Base  (CEBs)  como  um  testemunho  do  que  o  Papa  Francisco  tem  buscado quando  motiva  à  sinodalidade.  De  fato,  as  CEBs  promoviam  discussões  e encaminhamentos  de  determinada  realidade,  do  ponto  eclesiológico  e  social,  e deram certo porque tomaram a opção preferencial pelos pobres como o processo segundo o qual julgavam e avaliavam a doutrina “tradicional” da Igreja e da sociedade. Nelas, todos participam das decisões, não apenaseram consultados. Só que, com o “fim da história” –fim dos regimes  ditatoriais e queda do  muro de Berlim –, o único aspecto das CEBs que se salientou foi o sociotransformador, carregado  de  preconceitos  teológicos.  Nestes  tempos,  em  que  o  clericalismo aparece  como  um  grande  empecilho  à  sinodalidade,  o  resgatar  a  história  pode contribuir  para  que  a  sinodalidade  ganhe  uma  efetiva  expressão,  desde  que, também,  parte  significativa  da  Igreja  se  liberte  desse  estigma  que  as  CEBs, injustamente, acabaram por adquirir. Por isso, o texto faz um resgate histórico de como as CEBs emergiram na América Latina para, num passo seguinte, pensá-las e apresentá-las como um exemplo concreto da sinodalidade.

Publicado
Dec 28, 2022
Como Citar
DIAS, Tiago Cosmo da Silva. A sinodalidade na América Latina. Pesquisas em Teologia, [S.l.], v. 5, n. 10, p. 237-249, dec. 2022. ISSN 2595-9409. Disponível em: <https://periodicos.puc-rio.br/index.php/pesquisasemteologia/article/view/1806>. Acesso em: 04 mar. 2024. doi: http://dx.doi.org/10.46859/PUCRio.Acad.PqTeo.2595-9409.2022v5n10p237.
Seção
Artigos em temas diversos