Cartografia Assistiva para Daltônicos e Deficientes Visuais

contribuição ao ensino

  • Josimária Santana da Silva Departamento de Geografia
  • Josiel de Alencar Guedes Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Resumo

A cartografia é uma área do conhecimento muito utilizada pela Ciência Geográfica para representar as dinâmicas espaciais em suas múltiplas abordagens, sendo a junção de cálculos matemáticos, técnica e arte. Um ramo específico dessa área busca pesquisar e analisar as dificuldades de alunos com deficiência visual e daltonismo. Os deficientes visuais aprendem pela audição, tato e demais sentidos, com exceção da visão. Para que a Geografia se torne significativa na vida escolar do aluno, podem-se utilizar ferramentas digitais e táteis, e mapas em escala de cinza para daltônicos produzidos pelo Software Qgis, além da Cartografia tátil, que se utiliza de várias ferramentas para confeccionar mapas e maquetes táteis, inclusive maquetes sonoras. Outra ferramenta útil para os daltônicos é o aplicativo de celular móvel Detectar Cor, que identifica as cores reais, ao direcionar a câmera por cima do produto cartográfico. O objetivo deste trabalho é apresentar uma cartografia acessível no ensino de Geografia, onde se buscou mostrar produtos cartográficos adaptados para melhorar o ensino e aprendizagem dos sujeitos daltônicos e deficientes visuais. Foram realizados levantamentos bibliográficos, elaborado produtos cartográficos adaptados em ambiente digital e confeccionado mapas táteis e um globo tátil. Estes produtos foram analisados pelos deficientes visuais do CADV (Centro de apoio ao Deficiente Visual) de Mossoró enquanto foi apresentado o aplicativo para um sujeito com daltonismo. Os materiais produzidos se mostraram eficientes para usos no ensino, de forma a romper barreiras de limitações e auxiliar na aprendizagem e independência de, não somente deficientes visuais e daltônicos, mas de todos aqueles que precisam e devem ser incluídos na sala de aula.


 


Palavras-chave: Ensino de Cartografia. Ensino de Geografia. Deficientes visuais.


 


ABSTRACT


Cartography is an area of ​​geographical science, being the junction of mathematical calculations, technique and art. A specific branch of this area seeks to research and analyze the difficulties of students with visual impairment and color blindness. The visually impaired learn by hearing, touch and other senses, except vision. For geography to become meaningful in the student's school life, digital and tactile tools, and gray-scale maps for colorblinds produced by the Qgis Software can be used, as well as tactile cartography, which uses various tools to make maps. and touch models, including sound models. Another useful tool for colorblinders is the Color Detect mobile phone application, which identifies the actual colors by directing the camera over the cartographic product. The aim of this paper is to present an accessible cartography in the teaching of geography, where we sought to show cartographic products adapted to improve the teaching and learning of color blind and visually impaired subjects. Bibliographic surveys, cartographic products adapted in digital environment and tactile maps and a tactile globe were made. These products were analyzed by the visually impaired CADOR (Center for the Visually Impaired Support) of Mossoró while the application was presented to a subject with color blindness. The materials produced proved to be efficient for teaching purposes, in order to break down barriers of limitations and assist in the learning and independence of not only the visually impaired and colorblind, but all those who need and should be included in the classroom.


 Key-words: Cartography teaching. Geography teaching. Visually impaire.

Publicado
Oct 22, 2020
Como Citar
SILVA, Josimária Santana da; GUEDES, Josiel de Alencar. Cartografia Assistiva para Daltônicos e Deficientes Visuais. Revista Educação Geográfica em Foco, [S.l.], v. 4, n. 8, oct. 2020. ISSN 2526-6276. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaeducacaogeograficaemfoco/article/view/1142>. Acesso em: 28 nov. 2020.