Cartografias Inclusivas no Ensino da Geografia

explorando os sentidos da paisagem

  • Rafael da Silva Nunes Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Resumo

O ensino inclusivo apresenta-se enquanto uma das mais desafiadoras dimensões do ato de ensinar. A elaboração de metodologias e práticas que contribuam diretamente para que se consiga transmitir diferentes conteúdos para públicos especializados (com diferentes habilidades e competências) apresenta-se como uma das principais buscas realizadas pelo docente atualmente. Neste sentido, destacam-se os grupos relacionados aos portadores de necessidades especiais (PNEs). Para além da obrigatoriedade legislativa que atualmente fomenta a prática do ensino inclusivo devemos nos debruçar, sempre que possível, na busca por novos procedimentos e exercícios que façam com que os alunos apreendam o conteúdo transmitido de maneira integrada, complexa e lúdica. Desta maneira, o presente artigo busca, a partir das experiências vivenciadas na oficina ‘Cartografias Inclusivas no Ensino da Geografia’ realizada durante o ‘II Encontro de Licenciatura em Geografia’ realizada na PUC-Rio no ano de 2019, apresentar uma prática que pode contribuir para uma abordagem da cartografia que valorize não apenas os aspectos e técnicas associadas ao produto cartográfico em si, mas também uma discussão centrada nas representações em si, fazendo-se para tal da utilização de múltiplos sentidos do corpo humano, especialmente  a visão, o tato e audição. Além disso, apresentam-se ainda discussões que ampliam as possibilidades de como se pensar (e projetar) diferentes tipologias de paisagens.  


Palavras-chave: Cartografia, Ensino Inclusivo, Paisagem, Som, Tato


 


Abstract


Inclusive teaching is one of the most challenging dimensions of teaching. The development of methodologies and practices that contribute directly to the ability of transmitting different content to specialized audiences (with different skills and competences) is one of the main searches performed by the teacher today. In this sense, we highlight the groups related to people with special needs (PENs). In addition to the legislative obligation that currently fosters the practice of inclusive education, we should, whenever possible, look for new procedures and exercises that make students learn the content transmitted in an integrated, complex and playful way. Thus, the present article seeks, from the experiences lived in the workshop 'Inclusive Cartography in Geography Teaching' held during the ‘II Encontro de Licenciatura em Geografia’ held at PUC-Rio in 2019, to present a practice that can contribute to a cartography approach that values not only the aspects and techniques associated with the cartographic product itself, but also a discussion centered on the representations themselves, making use of multiple senses of the human body, especially sight, touching and hearing. In addition, there are discussions that expand the possibilities of how to think (and design) different types of landscapes.


Keyword: Cartography, Inclusive Education, Landscape, Sound, Touch

Publicado
Oct 21, 2020
Como Citar
NUNES, Rafael da Silva. Cartografias Inclusivas no Ensino da Geografia. Revista Educação Geográfica em Foco, [S.l.], v. 4, n. 8, oct. 2020. ISSN 2526-6276. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaeducacaogeograficaemfoco/article/view/1046>. Acesso em: 28 nov. 2020.