A Geopolítica Mundial na Mídia e seus Reflexos no Processo de Ensino-Aprendizagem em Geografia na Educação Básica

  • Francisco Fernandes Ladeira Instituto Federal do Espírito Santo
  • Vicente de Paula Leão Universidade Federal de São João del-Rei

Resumo

Compreender a linguagem midiática é uma questão importante para a Geografia Escolar. Conceitos estruturadores do pensamento geográfico – como território, paisagem e espaço – estão constantemente presentes no vocabulário utilizado pelos principais noticiários internacionais. Para facilitar a compreensão do público sobre temáticas geopolíticas, os meios de comunicação de massa utilizam linguagens baseadas em estereótipos, maniqueísmos, clichês, truísmos e tipificações. Este tipo de abordagem dos fatos empobrece as análises sobre o complexo cenário das relações internacionais. Não obstante, a influência do discurso midiático no processo de ensino-aprendizagem em Geografia ainda é pouco mencionada em trabalhos acadêmicos. Nesse sentido, este artigo apresenta os resultados de uma reflexão teórica e pesquisa em campo que busca compreender como professores de Geografia e alunos do 3º Ano do Ensino Médio decodificam os discursos geopolíticos da mídia. Para tanto, foram aplicados questionários e realizadas observações de aulas em que docentes e discentes tiveram contato com algum tipo de material midiático. Constatou-se que a mídia ainda é o principal fator que condiciona os imaginários geopolíticos dos discentes. Por outro lado, grande parte dos educadores ainda concebe o material midiático apenas como mais um recurso didático e não como objeto de estudo a ser sistematizado em sala de aula.


 Palavras-chave: Mídia; geopolítica; decodificação; ensino de Geografia; aprendizagem


 


Abstract


Understanding media language is an important issue for School Geography. Structuring concepts of geographic thought - such as territory, landscape and space - are constantly present in the vocabulary used by leading international news. To facilitate public understanding of geopolitical issues, the mass media use languages based on stereotypes, manichaeisms, cliches, truisms and typifications. This kind of approach to facts impoverishes the analysis of the complex panorama of international relations. Nevertheless, the influence of the media discourse in the teaching-learning process in the basic school Geography is still little mentioned in academic papers. In this sense, this article presents the results of a theoretical reflection and research in the field that seeks to understand how Geography teachers and students of the 3rd Year of High School decode the geopolitical discourses of the media. For that, questionnaires were applied and classroom observations were made in which teachers and students had contact with some kind of media material. For such, surveys and classroom fieldwork were made in which docents and learners came in touch with mediatic contents. It has been observed that mass media are still a main factor in shaping the students' geopolitical imagery. On the other hand, a large number of educators still conceive media-sourced contents as just another didatic resource rather then a study object worthy of systematized use in class.


 Keywords: media; geopolitics; decoding; Geography teaching; learning

Publicado
Apr 12, 2021
Como Citar
LADEIRA, Francisco Fernandes; LEÃO, Vicente de Paula. A Geopolítica Mundial na Mídia e seus Reflexos no Processo de Ensino-Aprendizagem em Geografia na Educação Básica. Revista Educação Geográfica em Foco, [S.l.], v. 5, n. 9, apr. 2021. ISSN 2526-6276. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/revistaeducacaogeograficaemfoco/article/view/1097>. Acesso em: 16 oct. 2021.